Amor além da vida


Hoje, vou colocar um texto aqui para vocês...pois me inspirei no filme que vi ontem, que tem em link ai, caso alguém ainda não tenha visto.

Tenham uma linda tarde. Paz e luz sempre!


O tema do amor além da vida entre dois seres é interesse de grande parte da humanidade. O cinema e a literatura, apesar de exagerarem às vezes, falam muito deste tema, a possibilidade de continuar uma relação amorosa após a existência material.

Para Alan Kardec, as paixões ajudam a Providência aumentando suas forças, mas, se o homem cai no seu excesso, ela o esmaga. Ela é uma necessidade natural, mas também um mal porque comete exageros de uma necessidade ou de um sentimento, afastando o homem da sua natureza espiritual, trancando-o na natureza simplesmente animal.

Para ele, duas pessoas que tiveram afeições com base em simpatia verdadeira na Terra, prosseguem no mundo espiritual. No entanto, se nasceu de pura atração física, ela desaparece com as causas. As afeições espirituais são mais fortes porque não são motivadas por caprichos, interesses materiais ou do ego.

Mostra que não existe união fatal entre duas almas, mas sim segundo a sintonia espiritual que ocupam, quanto mais perfeitos, mais unidos. Não são almas gêmeas, porque defende que esta idéia de cada um ser metade, não existe porque todo espírito é completo. O que atrai um espírito ao outro é o resultado da perfeita concordância de tendências e instintos.

E aqueles espíritos que hoje não são simpáticos entre si, poderão ser futuramente, segundo a sua elevação espiritual e, mesmo aqueles que são simpáticos entre si, podem deixar de o ser se houver “preguiça” por parte deles ou de um deles para a elevação espiritual. Portanto, dois espíritos “criados um para o outro” não devem definitivamente reunir-se na eternidade.

Quanto ao sexo dos espíritos, depende da constituição orgânica (herança da dopamina), mas são o amor e a afinidade de sentimentos o que realmente conta.

E a escolha do sexo para a nova encarnação feita por cada espírito, depende das provas por quais ele escolhe passar, uma vez que têm que ter experiências de provações e de deveres especiais. Quem viesse só homem, só teria experiências de homem, estaria com a experiência para a sua evolução incompleta.

Dr. Américo Domingos Nunes filho – médico e vice-presidente de Divulgação do Espiritismo do Rio de Janeiro é um estudioso do assunto e diz em seu livro Sexualidade à luz da Doutrina Espírita, diz que o casal apaixonado, mesmo com gosto e atrativos diferentes, apresentam-se unidos por um laço escondido no inconsciente, que é “o reencontro de almas afins”.

Ele oferece alguns pontos que correlacionam a vivência da paixão e as vidas sucessivas:


1. Na existência atual, ao encontrarmos alguém que nunca vimos e o encontro é arrebatador, são duas pessoas que já se “conheciam” unidas por amor ou atração física em existências passadas.


2. Duas pessoas se conhecerem a apenas alguns minutos e terem a sensação de velhos conhecidos, o que mostra uma relação ou convivência passada.


3. A impressão de que a atração durará para sempre comprova realmente que os indivíduos estão atados pelo espírito.


4. Quando se aceita o parceiro com naturalidade, do jeito que ele é, sem críticas, pois justifica um conhecimento prévio e profundo do enamorado.


5. Há pessoas que experimentam diversas paixões na vida, mesmo sendo casadas, com relações estáveis. Emoções desenfreadas tomam conta, o que pode causar um estrago familiar. Isso se dá, à luz espírita, porque tiveram experiências marcantes e emoções apaixonantes em outras vidas, trazendo consigo então as substâncias químicas euforizantes, como a dopamina, entre outras, trazendo-lhes a necessidade da emoção que a paixão proporciona, mas, como toda droga, com efeito efêmero. Por isso, quererem sempre mais.


O grau evolutivo espiritual é a grande arma contra as teias das paixões desenfreadas e sem fundamento que não o físico, pois a espiritualidade traz o conhecimento do verdadeiro amor e não dos vícios carnais, que não contribuem com o progresso do homem, além de fazê-lo sofrer sempre. O sexo é muito bom, muito bom mesmo, mas mesmo ele não pode ser um vício e tornar um homem seu escravo e sim ser um componente importante e gostoso do amor.

Conscientizemo-nos então que somos frutos do nosso passado, mas donos do nosso futuro.

5 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom, adorei.

Anônimo disse...

ola busquei no google artigos espiritas sobre o assunto, no meu caso conheci uma pessoa a bastante tempo e nos separamos, o namoro nao de certo. os dois ja se encontram em relacionamentos distintos, e da minha parte ficou essa indagação se ja nos conheciamos e se ele seria talves a pessoa com quem devesse ficar "pra sempre", Nossa relação sempre foi muito intensa, sempre tivemos uma sistonia muito grande. E volta e meia nos encontramos por acaso, seja na rua, no banco, na casa de um amigo em comum, sao situaçoes que sempre deixam uma lacuna de algo mau resolvido. Poderia ser uma pessoa que cnheci em outra vida?

Anônimo disse...

Foda-se amor lixooooo

Anônimo disse...

O amor verdadeiro atravessa a barreira da morte com certeza.

Anônimo disse...

Encontro me numa situação em que sai de um relacionamento de 18 anos. Conheci um rapaz mais novo do que eu 8anos. Estamos juntos há 7 meses...É um caso complicado conturbado brigamos mto ele me maltrata do nada ficamos sem nos falar por uma semana dai voltamos sem que nada tivesse acontecido ele bebe mto mas mesmo assim eu sinto uma coisa mto forte por ele não consigo sentir raiva só um amor incondicional. ...Estou sofrendo por ele e principalmente por mim que não consigo deixa-lo sinto um dever de protege-lo...Não sei mais o que fazer. Será q tenho um resgate com essa alma? Alguém o me esclarecer? Por favor?